Há males que vem para o bem

Rita Oliveira – 30 maio

Quando o ex-deputado federal André Moura (PSC) assumiu a Casa Civil do governo Wilson Witzel (PSC), em setembro do ano passado, deixando Brasília, onde já respondia pelo escritório de representação do governo do Rio de Janeiro no Distrito Federal, começou a ser especulado em Sergipe a possibilidade dele disputar mandato em 2022 pelo Rio.

Esse assunto começou a ser mais comentado no estado no momento que a sua filha Yandra Moura passou a marcar presença em municípios do interior,  ao lado de prefeitos, quando da entrega de algum equipamento ou inauguração de obras feitas no município através de emenda parlamentar destinada pelo pai quando deputado. Os sergipanos já começaram a ver a possibilidade do ex-deputado lançar a filha candidata a deputada federal em 2022.

André nunca declarou que concorreria as eleições em 2022 pelo Estado do Rio de Janeiro, mesmo comandando uma grande secretaria, tendo o apoio incondicional do governador e mantendo contato permanente com os deputados da Assembleia Legislativa do Rio tratando da articulação política.

O cargo que ocupava no Rio, cuja pasta tinha um orçamento maior que a receita do Estado de Sergipe, levou o ex-deputado a ficar mais tempo no Rio só vindo a Sergipe nas carreiras, em finais de semana, para ficar com a família.

A sua missão no Rio, que tinha todo o respaldo e reconhecimento político do governador Witzel, acabou o absolvendo muito. O que fez com que se distanciasse um pouco da política de Sergipe.

Agora, após saída da Casa Civil, André retorna ao Estado e deve iniciar um trabalho de articulação política visando as eleições deste ano. Deverá ter uma atuação arrojada, como é o seu estilo de fazer política.

Volta no momento certo, não só porque este ano é um ano de eleição, como pelo fato do governo de Wilson Witzel está sendo investigado por susposto esquema de corrupção envolvendo a construção dos hospitais de campanha para combater a covid-19 no estado. Na última terça, inclusive, a Polícia Federal realizou operação na residência oficial do governo, cumprindo mandado de busca e apreensão.

Ele saí no meio de uma guerra entre o presidente Bolsonaro e o governador Witzel, com a Polícia Federal na sua cola após o presidente  Bolsonaro trocar a superintendência da PF no Rio, iniciando uma crise com o então ministro da Justiça, Sérgio Mouro. Sem falar o fato dos deputados estaduais quererem seu impeachment.

Já são cinco pedidos de impeachment na Assembleia Legislativa do Rio, tendo os dois últimos sido protocolados nesta semana por dois deputados partidários de Bolsonaro.

Trocando em miúdos, a exoneração de André Moura da Casa Civil acabou fazendo com que pulasse uma fogueira. Sem falar no fato de esta residindo no Rio, que é o segundo estado com maior número de casos e mortes pela pandemia da covid-19. No Rio já morreu mais gente que a China, país onde tudo começou.

Para o ex-secretário,  vale o ditado popular: ” não há um mal que não traga um bem…”

…………………………………………………

O que fala a mídia carioca 1

A saída de André Moura da Casa Civil vai agravar a crise entre o governo Witzel e a Assembleia Legislativa. É que o deputado estadual Márcio Pacheco (PSC/RJ) disse ontem que iria ao Palácio Guanabara entregar o cargo de líder ao governador.  O primeiro vice-líder, Léo Vieira (PSC), também anunciou que deixaria a função.

O que fala a mídia carioca 2

Segundo o Extra Globo, os parlamentares acham que ficou muito difícil a interlocução entre os Palácio Tiradentes e Guanabara, depois que o governador decidiu exonerar André.  Principalmente pelo fato de haver cinco pedidos de impeachment de Witzel na mesa diretora da Assembleia. O presidente, André Ceciliano (PT), encaminhou dois deles, na quinta, à procuradoria, dando início ao processo que pode levar à perda do mandato do governador.

O que fala a mídia carioca 3

Não foi somente André Moura o exonerado na última quinta-feira. O governador Witzel exonerou também Luis Cláudio Rodrigues de Carvalho, da Fazenda. A imprensa carioca ventila que os próximos da lista a serem exonerados são: Leonardo Rodrigues, da Ciência e Tecnologia; e Felipe Bornier, do Esporte.

O que fala a mídia carioca 4

O secretário da Casa Civil, André Moura, poderá ser substituído na esteira da guerra palaciana entre os grupos de poder que se digladiam no Governo do Rio. Moura está sendo bombardeado por Lucas Tristão, que atribui a ele o vazamento de informações que o comprometem ainda mais na operação Favorito. Antes de Moura entrar na equipe, Tristão reinava absoluto entre os colaboradores de Witzel, não tendo competidores à altura na disputa de poder no primeiro escalão.

O que fala a mídia carioca 5

Publicou o Agenda do Poder na quinta: “Incomparavelmente mais articulado politicamente do que todo o secretariado, Moura naturalmente tirou espaço de Tristão, se impondo como a principal liderança na equipe do governador. Passou a ser uma espécie de primeiro-ministro do governo Witzel. Dada a agenda atribulada do governador, muitos secretários preferem despachar diretamente com o chefe da Casa Civil que, experiente, dá respostas quase imediatas às demandas, imprimindo ritmo ao governo. O sucesso de Moura produziu adversários que, articulados com Tristão, passaram a bombardeá-lo”.

O que fala a mídia carioca 6

Noticiou ainda o Agenda do Poder: “Ameaçado com a possibilidade de ser atingido frontalmente na segunda fase da operação Favorito, Tristão deflagrou nesta semana pesado bombardeio contra Moura, a quem atribui boa parte de suas desventuras no poder”.

Julgamento

Na pauta do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/SE) do próximo dia 2 de junho o julgamento de recurso eleitoral da prefeita Simone Andrade (PSD/Riachão do Dantas) pela acusação de captação ilícita de sufrágio e abuso de poder econômico nas eleições suplementar ocorrida em 1º de setembro de 2019. Simone foi eleita com 56,61% dos votos válidos, o correspondente a 7.243 votos. Ganhou para Manuela Costa (PSC), que obteve 36,56% dos votos válidos, o equivalente a 4.678 votos.

Estância 1

O ex-vereador Dominguinhos do PT segue firme com sua pré-candidatura a prefeito de Estância.  Com ele já são cinco os pré-candidatos no município: o prefeito Gilson Andrade (PSD), Márcio Souza (Psol), Suely Barreto (Cidadania) e Titó (Avante).

Estância 2

A vice-prefeita Adriana Leite (Republicanos), esposa do ex-prefeito Ivan Leite, está na disputa da vaga de vice de Gilson Andrade com o presidente da Câmara Municipal, André Graça (PP), que é o preferido do prefeito. André é ligado ao deputado federal Laércio Oliveira (PP).

Ponto de vista1

Do senador Rogério Carvalho (PT/SE) sobre decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de encaminhar para a Procuradoria Geral da República (PGR) pedido de impeachment do ministro general Augusto Heleno: “Não estamos na ditadura militar e não vamos mais estar. Na Democracia não se admite espíritos ditatoriais. Respeitem o Estado Democrático de Direito e as nossas instituições. Não teremos novas anistias para quem rasgar nossa Constituição!”.

Registro

Foi o ministro do STF, Celso de Mello, quem encaminhou à PGR uma notícia-crime protocolada que indica suposto crime de responsabilidade do general Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. Na notícia-crime recebida pelo ministro do STF, há um pedido de impeachment do general.

Ponto de vista 2

Do deputado federal Fábio Henrique (PDT) sobre a polêmica com relação ao projeto de lei de combate às fake news: “Sou radialista com muito prazer, mas a liberdade de imprensa não significa usar fake news para agredir pessoa, influênciar em resultado de eleição e destruir reputações. Parabéns ao senador Alessandro Vieira pelo projeto. Precisamos dar um basta nesse abuso. A democracia agradece.”

Na terça

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), reafirmou ontem que  será votado no próximo dia 2 de junho o projeto de Alessandro Vieira (Cidadania-SE) que institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet (PL 2.630/2020).  Ele prevê normas e mecanismos de transparência para redes sociais e serviços de mensagens da internet para combater abusos, manipulações, perfis falsos e a disseminação de notícias falsas, ou seja, fake news.

Veja essa…

Cinco ex-governadores que foram eleitos no Rio de Janeiro e estão vivos já foram presos: Moreira Franco, Anthony Garotinho, Rosinha Matheus, Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão. Todos respondem em liberdade, menos Cabral, preso em Bangu desde 8 de novembro de 2016. A única governadora do Rio que está viva e não foi presa é Benedita da Silva (PT).

CURTAS

O deputado federal Fábio Reis (MDB) esteve na manhã desta sexta-feira (29) no município de Pedrinhas para fazer a entrega de três kits de irrigação e um trator. O valor total do recurso foi de R$ 137 mil e teve parceria com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

É grande a expectativa do novo decreto que o governador Belivaldo Chagas  vai baixar na próxima segunda-feira com medidas de combate ao covid-19, que em Sergipe já levou a óbito, até ontem 142 pessoas e tem 6.462 pessoas infectadas.

O deputado federal Fábio Reis (MDB) se solidarizou ontem com Rogério Carvalho. “Minha solidariedade ao amigo senador Rogério Carvalho diagnosticado com covid-19. Espero que sua recuperação seja rápida e na medida do possível, tranquila. Tenha força e fé! Um grande abraço”.

Na pauta do TRE/SE da próxima terça-feira, 2, a prestação de contas do candidato a governador em 2018, Mendonça Prado.

 A Câmara Municipal de Aracaju aprovou projeto de lei, de autoria do vereador Elber Batalha (PSB), instituindo em Aracaju a data de 12 de maio como Dia Municipal da Fibromialgia. O PL segue para sanção do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT)  para que se torne lei.

 

 

Mais uma notícia triste para o meio ambiente vinda do governo Bolsonaro: será extinta a base do Projeto Tamar em Pirambu. Sergipe recebeu a primeira base em 1982.

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) é um dos que lamenta a extinção da base do projeto em Pirambu: “É com tristeza que recebemos a notícia da extinção desta base. Nesse governo é como diz o ditado, trata-se o carrapato matando o boi, nesse caso, as tartarugas”. É por aí!

O ex-deputado federal Márcio Macedo (PT) também lamentou. “Como disse no vídeo da reunião ministerial, o ministro do Meio Ambiente [Ricardo Salles] quer passar a boiada e decidiu extinguir a base do Projeto Tamar em Pirambu. Sou biólogo e sei da importância ambiental que o projeto tem pra região, para a ciência e para a preservação dos animais marinhos”.

One thought on “Há males que vem para o bem

  • Eu concordo família preparada para cuidar do nosso estado e pais

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *